Artigo sobre Alzheimer e Curso em RECIFE FLORAIS DE SAINT GERMAIN NO ALZHEIMER

Artigo sobre Alzheimer e Curso em RECIFE FLORAIS DE SAINT GERMAIN NO ALZHEIMER

Artigo e Curso fala da demência, suas características, fases, como tratar a pessoa e o cuidador usando as essências florais

 

Tenho trabalhado na Associação Brasileira de Alzheimer desde 2007 até hoje atualmnete sou coordenadora das Práticas Complementares e Integrativas a Saúde da Nacional e Regional Pernambuco, com dois livros publicados quanto a esse tema.

Participarei como palestrante do próximo congresso em dois momentos nos dias 16 e 17.10.2019.

E estou programando curso sobre este tema em Recife agendado para o dia 26.10.2019. 

As inscrições poderão ser feitas pelo site ou pelo email rosangleaflorais@gmail.com.

Segue artigo publicado em vários sites, que mostra a perpectiva dos flroais no Alzheimer que atua tanto com o cuidador como com os distúrbios que acomentem a pessoa ocm tal diagnóstico trazendo qualdiade de vida.

É uma doença que pode ser confundida com outros tipos de demência ou mesmo com uma depressão grave, problemas na tireóide, problema renal hepática, deficiência de vitamina B12, demência vascular, AVC, etc. e que podem apresentar alguns sintomas similares ao do Alzheimer.

Precisa ser diagnosticada por um profissional experiente, já que não existem exames clínicos que a diagnostique, em geral seu diagnóstico é realizado por eliminação.

A doença de Alzheimer (DA) é caracterizada por ser uma doença neurológica degenerativa, irreversível, com sinais e sintomas que afetam a memória recente e outras funções cognitivas. Como linguagem, temos: problema com o vocabulário, escrita, atenção, habilidades, orientação temporal e espacial, as atividades diárias domésticas e profissionais, mudança de personalidade, mudança de humor, perda de iniciativa, problemas com o raciocínio abstrato, colocar objetos em lugares errados.

Em geral, a DA acomete inicialmente a parte do cérebro que controla a memória, o raciocínio e a linguagem. Entretanto, pode atingir inicialmente outras regiões do cérebro, comprometendo assim outras funções. A causa da doença ainda é desconhecida e, embora ainda não haja medicações curativas, já existem drogas que atuam no cérebro tentando bloquear sua evolução, podendo, em alguns casos, manter o quadro clínico estabilizado por um tempo maior. Seu médico é o melhor conselheiro e apenas ele é capaz de avaliar a necessidade do uso dessas medicações. É importante que você saiba que, apesar de não haver tratamento curativo, podemos fazer muito em prol desses pacientes através de cuidados específicos e dirigidos a cada fase evolutiva, melhorando em muito a qualidade de vida dessas pessoas.

A doença evolui em três fases progressivas, das quais falarei em outro artigo.

A DA recebeu este nome depois que o Dr. Alois Alzheimer descreveu, em 1906, as mudanças ocorridas no tecido cerebral de uma mulher que faleceu em decorrência do que era conhecido como uma forma de doença mental no idoso. Essas mudanças hoje são reconhecidas como características da alteração do tecido cerebral na doença de Alzheimer. 

A DA afeta todos os grupos da sociedade, não tendo influência a classe social, o sexo, o grupo étnico ou a localização geográfica. Embora a DA seja mais comum em pessoas idosas, também as pessoas jovens podem ser afetadas.

A família sofre muito com a evolução da doença no ente querido. Sempre se destaca no núcleo familiar uma pessoa que vai ser o cuidador principal. A família e principalmente o cuidador principal, que concentra as decisões e tarefas com relação ao paciente, precisam de cuidados especiais para não sucumbir diante da situação apresentada durante todo o processo de adoecimento.

O DA é uma doença que necessita de cuidado multiprofissional. Médico Geriatra e/ou neurologista, fisioterapeuta, terapeuta floral, fonoaudióloga, nutricionista etc. para o paciente. E para o Cuidador recomendamos terapias de apoio como à terapia floral aonde se vai trabalhar através das essências florais as emoções que afloram como medo, insegurança, angústia, impaciência, raiva e outras, além da depressão e o estresse.

Dentro da perspectiva da Terapia com Essências Florais utilizamos à natureza, através das essências vibracionais das flores, sob a forma de gotas sublinguais (existem outras formas de uso), com o objetivo de tratar os estados mental e emocional de cada indivíduo, de forma suave e gentil promovendo e catalisando mudanças positivas nas fases da demência, nos distúrbios de comportamento decorrente da doença, na depressão da pessoa com Alzheimer e nos cuidados àquele que cuida seja cuidador familair ou contratado. 

Em breve falarei dos óleos essenciais para Alzheimer.

Referência Bibliográfica:BITTAR, Rosangela V. OS BENEFÍCIOS DAS ESSENCIAS FLORAIS DE BACH NO ALZHEIMER

BITTAR, Rosangela V., MANUAL DAS ESSÊNCIAS FLORAIS DO SISTEMA SAINT GERMAIN NO ALZHEIMER