O Autismo e a Terapia com Essências Florais

O Autismo e a Terapia com Essências Florais


O autismo o que é? Principais sintomas. As essências florais que podem ser usadas no autismo.

Autismo

Por Rosangela Vecchi Bittar

O que é Autismo?

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que aparece nos três primeiros anos de vida. O autismo afeta o desenvolvimento normal do cérebro relacionado às habilidades sociais e de comunicação. Marcado por três características fundamentais:

* Inabilidade para interagir socialmente;

* Dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos;

* Padrão de comportamento restritivo e repetitivo.

O grau de comprometimento é de intensidade variável: vai desde quadros mais leves, como a síndrome de Asperger (na qual não há comprometimento da fala e da inteligência), até formas graves em que o paciente se mostra incapaz de manter qualquer tipo de contato interpessoal e é portador de comportamento agressivo e retardo mental. Os estudos iniciais consideravam o transtorno resultado de dinâmica familiar problemática e de condições de ordem psicológica alteradas, hipótese que se mostrou improcedente. A tendência atual é admitir a existência de múltiplas causas para o autismo, entre eles, fatores genéticos e biológicos.

Causas

O autismo é uma doença física vinculada à biologia e à química anormais no cérebro. As causas exatas dessas anomalias continuam desconhecidas, mas essa é uma área de pesquisa muito ativa. Provavelmente, há uma combinação de fatores que leva ao autismo.

Os fatores genéticos do autismo parecem ser importantes. Por exemplo, é muito mais provável que dois gêmeos idênticos tenham autismo do que gêmeos fraternos ou irmãos. Da mesma forma, as anomalias de linguagem são mais comuns em parentes de crianças com autismo. Anomalias cromossômicas e outros problemas do sistemas nervoso (neurológicos) também são mais comuns em famílias com autismo. Já houve suspeitas de várias outras causas possíveis para o autismo, mas nenhuma foi comprovada.

Sintomas

O autismo inclui um amplo espectro de sintomas. Portanto, uma avaliação única e rápida não pode indicar as reais habilidades da criança. O ideal é que uma equipe de diferentes especialistas a avalie a criança com suspeita de autismo. 

Pontos a valiar: na amamentação a criança não interage com a mãe; não ocnsegue olhar nos olhos das pessoas, dificuldade de interagir socialmente, não atendem quando chamadas pleo nome, separam objetos por tamanho, cor etc...; fazem movimentos repetitivos com o mesmo objeto; movimentos ocprorais repetitivos muitas vezes com movimentos violentos; em vez de pedir algo levam a pessoa pela mão até o local onde querem que algo seja realizado; não acompanham acontecimentos a sua volta. 

O autismo acomete pessoas de todas as classes sociais e etnias, mais os meninos do que as meninas. Os sintomas podem aparecer nos primeiros meses de vida, mas dificilmente são identificados precocemente. O mais comum é os sinais ficarem evidentes antes de a criança completar três anos. De acordo com o quadro clínico, eles podem ser divididos em 3 grupos:

1) ausência completa de qualquer contato interpessoal, incapacidade de aprender a falar, incidência de movimentos estereotipados e repetitivos, deficiência mental;

2) o portador é voltado para si mesmo, não estabelece contato visual com as pessoas nem com o ambiente; consegue falar, mas não usa a fala como ferramenta de comunicação (chega a repetir frases inteiras fora do contexto) e tem comprometimento da compreensão;

3) domínio da linguagem, inteligência normal ou até superior, menor dificuldade de interação social que permite aos portadores levar vida próxima do normal.

Na adolescência e vida adulta, as manifestações do autismo dependem de como as pessoas conseguiram aprender as regras sociais e desenvolver comportamentos que favoreceram sua adaptação e autossuficiência.

Tratamento

Até o momento, autismo é um distúrbio crônico, mas que conta com esquemas de tratamento que devem ser introduzidos tão logo seja feito o diagnóstico e aplicados por equipe multidisciplinar.Não existe tratamento padrão que possa ser utilizado. Cada paciente exige acompanhamento individual, de acordo com suas necessidades e deficiências. Alguns podem beneficiar-se com o uso de medicamentos, especialmente quando existem co-morbidades associadas.

 

      Recomendações

  • Ter em casa uma pessoa com formas graves de autismo pode representar um fator de desequilíbrio para toda a família. Por isso, todos os envolvidos precisam de atendimento e orientação especializados;
  • É fundamental descobrir um meio ou técnica, não importam quais, que possibilitem estabelecer algum tipo de comunicação com o autista;
  • Autistas têm dificuldade de lidar com mudanças, por menores que sejam; por isso é importante manter o seu mundo organizado e dentro da rotina;
  • Apesar de a tendência atual ser a inclusão de alunos com deficiência em escolas regulares, as limitações que o distúrbio provoca devem ser respeitadas. Há casos em que o melhor é procurar uma instituição que ofereça atendimento mais individualizado;
  • Autistas de bom rendimento podem apresentar desempenho em determinadas áreas do conhecimento com características de genialidade.

       Sob o ponto de vista da Terapia Floral

       As essências abaixo são sugestão e cabe ao terapeuta fazer avaliação do caso.

       Para tratamento abordar os seguintes núcleos:

  • Energéticamente; harmonização dos chacras atenção especial ao chacra básico, laríngeo, frontal e coronário principalmente através do uso de essências florais do Sistema S.Germain:  abricó, flor branca, ipê roxo e capim seda acrescido de varus + carrapichão + purpureum + lótus do egito + incensum.
  • Emocionalmente desbloquear a fala com a essência floral jasmim madagascar.
  • Tratar a raiva internalizada e  expressar as emoções: grevílea + capim seda + S.Miguel.
  • Para os agressivos: grevilea + patiens + lírio da paz.
  • Estimular as funções cerebrais: abricó + coronarium + margarida sg. + thea (juntas ou não depedne do caso avaliado)
  • Desbloquear a audição interna: abricó + algodão + indica + allium.
  • Suprimento da carência emocional: sorgo + leucantha ou unitatum depende do que está acontecendo na biografia da pessoa cuidada.
  • Para socializar-se: abricó + sorgo
  • Estimular o desenvolvimento psíquico (amadurecimento) e acessar sabedoria desta alma: sapientum + piper + pinheiro da libertação.
  • Ritmo interno (personalidade: alma) : erbum + pectus
  • Sentimento de inadequação (não expresso pelo autista): aloe
  • Para a angustia de não desempenhar as tarefas: gloxínia + cidreira + aloe
  • Ancoramento para a realidade: bom dia + pepo
  • Para limpar energias ancestrais: pinheiro da libertação, purpureum, alcachofra, carrapichão, S.Miguel, etc....
  • Essências fundamentais na fórmula: abricó, varus, carrapichão, sapientum, pectus, margarida sg, sergipe
  • Também tratar o núcleo familiar e as questões de convivência com o autista, conflitos, sofrimento emocional para tornar o ambiente propísico ao desenvolvimento do autista.

          Cada caso é um caso depende de avaliação, procure um terapeuta referenciado para melhor tratar essa individualidade para que ela se desenvolva adequadamente. Este texto não esgota o tema.

         Observação: O tratamento ocmplementar a saúde Não dispensa o tratamento e acompanhamento médico e multidisciplinar.

        grata